Previous
Next

MPV EM DEFESA DA VIDA

Médicos Pela Vida trabalha sem parar para levar informação real, precisa e rápida ao cidadão brasileiro, bem como assistência na medida do possível. Assim, lutamos diariamente para ampliar o número de Médicos cadastrados para atender ao crescimento dos casos de COVID em busca de profissionais adeptos ao Tratamento Precoce.

Oferecer atendimento e assistência à população é um preceito constitucional, uma obrigação de governantes e legisladores, responsáveis pelas políticas públicas na área da Saúde, sobretudo em relação à Pandemia da Covid-19.

É importante você, cidadão, pressionar o Poder Público, Planos de Saúde, Entidades de classe e Profissionais, para que sejam disponibilizadas Equipes Médicas suficientes ao atendimento digno e eficaz em todas as Unidades de Saúde do Brasil, sob o mesmo protocolo mínimo com fornecimento gratuito de remédios correspondentes, como já ocorre em várias regiões do País.

Todos nós precisamos estar unidos e agir na defesa da vida!

Últimas notícias

Quanto mais o especialista recebe da indústria farmacêutica, mais ele é contra a hidroxicloroquina, diz estudo

Quanto mais o especialista recebe da indústria farmacêutica, mais ele é contra a hidroxicloroquina, diz estudo

"Não existe almoço grátis'', afirmou o vencedor do Prêmio Nobel Milton Friedman. A frase é citada no estudo.
Editorial: as perguntas incômodas sobre o caso Isabelli Borges

Editorial: as perguntas incômodas sobre o caso Isabelli Borges

Nós, Médicos Pela Vida, iniciamos este editorial com uma pergunta: Isabelli Borges Valentim precisava realmente se vacinar? Era necessário?
Fatos: Médicos Pela Vida não divulgou protocolo que está viralizando nas redes sociais

Fatos: Médicos Pela Vida não divulgou protocolo que está viralizando nas redes sociais

Estão circulando, por correntes de whatsapp, supostos protocolos de tratamentos e profilaxia que seriam do grupo MPV -Médicos Pela Vida.…

Quem somos

Somos médicos de todas as especialidades que assistimos pessoas acometidas pela pandemia da covid-19 bater na porta de nossa casa, clínica ou ambulatório, ou no telefone/whatsapp. Pacientes pedindo tratamento precoce, ansiando por não serem hospitalizados, muito menos intubados sob risco de morte. A angústia em atender adequadamente a essas pessoas, por vezes dentro de nossa própria casa, nos motivou a estudar, observar, e lançar mão de condutas que fossem benéficas às pessoas, inclusive para nós mesmos. Daí nasceu a assistência observacional de cada um de nós, convergida para a experiência coletiva, consolidada na produção de uma proposta de protocolo que servisse de guia para os colegas, sensibilizasse autoridades, e tirasse as pessoas do abandono pré hospitalar, atendendo …