Previous
Next

MPV EM DEFESA DA VIDA

Médicos Pela Vida trabalha sem parar para levar informação real, precisa e rápida ao cidadão brasileiro, bem como assistência na medida do possível. Assim, lutamos diariamente para ampliar o número de Médicos cadastrados para atender ao crescimento dos casos de COVID em busca de profissionais adeptos ao Tratamento Precoce.

Oferecer atendimento e assistência à população é um preceito constitucional, uma obrigação de governantes e legisladores, responsáveis pelas políticas públicas na área da Saúde, sobretudo em relação à Pandemia da Covid-19.

É importante você, cidadão, pressionar o Poder Público, Planos de Saúde, Entidades de classe e Profissionais, para que sejam disponibilizadas Equipes Médicas suficientes ao atendimento digno e eficaz em todas as Unidades de Saúde do Brasil, sob o mesmo protocolo mínimo com fornecimento gratuito de remédios correspondentes, como já ocorre em várias regiões do País.

Todos nós precisamos estar unidos e agir na defesa da vida!

Últimas notícias

Comunicado aos pais

Comunicado aos pais

Atenção pais que não querem "vacinar" seus filhos e a escola está exigindo passaporte "vacinal" contra COVID para efetuar matrícula:
Nota de repúdio à SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria

Nota de repúdio à SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria

Sabemos que a SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria, nunca se preocupou em cuidar e tratar os pequenos pacientes doentes…
COVID-19: governo inglês não recomenda vacinação em massa de crianças entre 5 e 11 anos

COVID-19: governo inglês não recomenda vacinação em massa de crianças entre 5 e 11 anos

A decisão dos cientistas analisou os riscos, os benefícios e decidiu contra a inoculação em massa, restringindo a vacinação em…

Quem somos

Somos médicos de todas as especialidades que assistimos pessoas acometidas pela pandemia da covid-19 bater na porta de nossa casa, clínica ou ambulatório, ou no telefone/whatsapp. Pacientes pedindo tratamento precoce, ansiando por não serem hospitalizados, muito menos intubados sob risco de morte. A angústia em atender adequadamente a essas pessoas, por vezes dentro de nossa própria casa, nos motivou a estudar, observar, e lançar mão de condutas que fossem benéficas às pessoas, inclusive para nós mesmos. Daí nasceu a assistência observacional de cada um de nós, convergida para a experiência coletiva, consolidada na produção de uma proposta de protocolo que servisse de guia para os colegas, sensibilizasse autoridades, e tirasse as pessoas do abandono pré hospitalar, atendendo …